Prolongamento sem custos

Figura 1. Reunião de Co-Gestão do Projecto e a Comunidade em Tevele, Moçambique.

Originalmente previsto para terminar em Março de 2022, o nosso projecto terá agora mais um ano para completar o nosso trabalho. Em Outubro de 2021, o financiador Global Affairs Canada (GAC) concordou com uma prorrogação de um ano sem custos – não receberemos nenhum dinheiro adicional, mas teremos um ano extra para completar e consolidar as nossas actividades. Como muitos outros projectos em todo o mundo, o nosso trabalho nos últimos 18 meses foi dificultado pela pandemia da COVID-19. De facto, a pandemia teve um impacto considerável em Moçambique e o projecto sofreu sérios atrasos devido ao seu impacto contínuo.  Estamos gratos com a flexibilidade do GAC ao permitir-nos este ano extra para completar as intervenções, e aprofundar a sustentabilidade a longo prazo.

Moçambique e a pandemia

Em Março de 2020, a pandemia da COVID-19 atingiu Moçambique. Mesmo antes de Moçambique ter relatado quaisquer casos, o governo agiu rapidamente para retardar a transmissão esperada da vizinha África do Sul, fechando escolas e, pouco tempo depois, declarando o primeiro de uma série de Estados de Emergência (EM) (Decreto Presidencial n.º 11/2020, 30 de Março de 2020). Em Setembro de 2020 (segundo trimestre do projecto – Ano Quatro), Moçambique transitou de EMs para um Estado de Calamidade Pública (ECP) de duração indeterminada. Actualmente, o EM permanece em vigor e a pandemia continua a representar desafios significativos para o sistema nacional de saúde e para a sociedade em geral. O número total de infecções e mortes reportadas em 15 de Outubro de 2021 foi 151.080 (1.051 activos) e 1.925 em comparação com 10.537 casos e 73 mortes reportadas um ano antes.1Moçambique está no meio de uma campanha de vacinação e espera atingir os 17 milhões de adultos elegíveis até ao fim de 20212; No entanto, o seu fornecimento de vacinas depende dos doadores e, portanto, é vulnerável à escassez e às perturbações. Entretanto, o número de infecções e mortes continua a aumentar.

A resposta do Projecto à pandemia

Figura 2. Formação em Cuidados Pré-natais durante o COVID 19.

A resposta do projecto à COVID-19 também foi rápida. Já em Março de 2020, as mudanças ocorreram à três níveis: interno à equipa; na nossa programação, particularmente com as comunidades e nos trabalhadores da saúde; e na nossa parceria com a DPSI, destinada a reforçar as medidas preventivas e a retardar a propagação do vírus. Reavaliámos as operações e desenvolvemos formas de manutenção de actividades-chave e modificação de outras, mantendo em segurança os membros da equipa, parceiros e beneficiários; ampliamos a prevenção, reduzindo as interações em grupo e aumentando a educação  sobre a COVID-19 e incorporamos a prevenção da COVID-19 como um tema transversal em toda a nossa programação.

Ao longo de 2021, a COVID-19 continuou a criar atrasos consideráveis em várias áreas de implementação de projectos. Os atrasos foram causados pela necessidade de limitar a dimensão e a frequência das reuniões presenciais, transporte e movimento devido à restrições – que afectaram tanto as actividades comunitárias como as do sistema nacional de saúde – e um abrandamento económico global em Moçambique, que afectou a aquisição de bens. A pandemia também afectou negativamente a investigação, restringindo o tempo e a disponibilidade dos nossos parceiros de investigação no sistema de saúde.

Apesar destes atrasos, contudo, os participantes no projecto, tanto em Moçambique como no Canadá, continuaram a trabalhar de forma colaborativa e dedicada para implementar as nossas actividades.

Os nossos planos para o ano

Figura 4. Formação para uma orientação apropriada ao nascimento.
Figura 3.  Micro-projectos para o desenvolvimento da
comunidade: moageira

Durante o próximo ano, as nossas intervenções irão completar e documentar o nosso trabalho de criação de comunidades modelo de cuidados maternos nas novas uinidades sanitárias e em torno delas, desenvolvendo percursos de referenciamento/vias de cuidados em 20 comunidades parceiras, e capacitação das mulheres, das raparigas e dos jovens em geral através da mobilização comunitária, do desenvolvimento económico comunitário e da programação da saúde sexual, reprodutiva e direitos.

Completaremos projectos de investigação e partilharemos o que for aprendido. Ao longo de todo o processo, trabalharemos e dialogaremos com o nosso parceiro DPSI sobre as implicações políticas e práticas do nosso trabalho, para internalizar e possivelmente institucionalizar as mudanças necessárias para reforçar a saúde sexual, materna e reprodutiva, e neonatal na província de Inhambane.


1Boletim Diário Nº577,15/10/2021 e Boletim Diário Nº212, 15/10/2020, MISAU.

2“Mozambique: Half a Million Doses of Covid-19 Vaccines Arrive,” 02/05/2021 ,AIM.