Este é um trecho de um artigo escrito por Nazeem Muhajarine, Ejemai Eboreime, Jacob Albin Korem Alhassan e Okikiolu Badejo. 22 de Abril de 2020 

Enquanto o vírus SARS-CoV-2 varre o mundo, os países africanos estão a preparar-se para consequências graves. As projecções divulgadas em 17 de Abril incluem um cenário pior de um bilião de casos e 3,3 milhões de mortes. Este cenário baseia-se na hipótese de não serem tomadas medidas de distanciamento social. Com um intenso distanciamento social, as estimativas baixam para 122 milhões de infecções e 300.000 mortes.

Estas estimativas surpreendentes são um convite à acção urgente. Agora é a hora de agir em África
e aplicar lições da sua própria história recente no combate contra epidemias como a Ébola e o HIV, bem como lições de países onde os surtos da COVID-19 podem estar a atingir o pico actualmente.

Ninguém sabe, porém, como é que a África vai sobreviver esta pandemia. Em comparação com o
resto do mundo, especialmente com a Ásia, o vírus chegou mais tarde, dando a oportunidade de aprender de lições em tempo real que podem ajudar a orientar a batalha de África.

Oferecemos três recomendações a esse respeito:

● Disseminação de informações correctas

● Uma resposta coordenada e equitativa de comunidades médicas e cívicas e governos

● Aumento dacapacidade de realização de testes

Leia o artigo completo em https://www.maternalhealthmozcan.ca/wp-content/uploads/2016/03/2020.04.22-Why-Africa-needs-to-battle-unique-challenges.-PT-FINAL.pdf

%d bloggers like this: